O Retorno de Drakor - Prólogo para os personagens

Drakien e Drakor destruiram-se em Dragórios, levando consigo grande parte da cidade, mas o poder de Drakor não se extinguiu por completo.

Devido a sua nova condição de Dracolich, o retorno do grande rei Dragão é apenas uma questão de tempo e sem seu poderoso irmão para detê-lo, nada poderá impedir suas ambições de conquista e vingança contra os Deuses e o mundo.

Um grupo de bravos heróis conseguiu encontrar um ultimo fragmento da mente de Drakien, desesperadamente tentando guiar os povos livres de Esdra em sua nova luta contra Drakor. Drakien enviou o grupo para o plano dos Eladrins, onde eles ajudaram Eleldar a combater as hordas invasoras comandadas por generais leais ao grande Dragão Rei corrompido.

Durante as guerras feéricas, muita coisa aconteceu...

Aeris descobriu ser neta de Eleldar e atual herdeira de Silëndar e Ar-Finël. Descobriu-se que seu pai Fienel, irmão mais novo de Alarin, lutou bravamente ao lado de sua esposa Lenarë durante as invasões planares demoníacas. Mas no final ambos foram perseguidos e conseguiram salvar a jovem criança das garras dos inimigos entregando sua tutela secretamente a um sábio humano em Esdra. Com as mortes de Alarin e toda sua família durante as guerras féericas, Aeris tem a responsabilidade de liderar o povo eladrin refugiado em Esdra junto a seu avô Eleldar que se encontra debilitado pela maldição de um artefato demoníaco. Aeris aprendeu poderosos feitiços com Eleldar e utilizou-os para ajudar a proteger Ar-Finël do ataque inimigo. Suas habilidades já são comparadas com a de seus parentes famosos.

Durante a guerra dos eladrins, Coruk foi perseguido por Maltezumo, o poderoso demônio que reclama ter posse de sua alma. Foi capturado e levado para os planos inferiores. Porém, com um golpe de astúcia, conseguiu enganar o demônio e seus seguidores mais uma vez, roubando-lhe vários ítens mágicos, incluindo um precioso artefato que depois foi utilizado por Eleldar na guerra contra os seguidores de Drakor e permitiu ao rei Eladrin causar grandes prejuízos ao inimigo. Eleldar porém foi amaldiçoado pelo artefato.

Fergus venceu o preconceito Eladrin por sua natureza meio órquica ao fazer história ajudando o poderoso Alarin a proteger os portões de Ar-Finël e permitir que a fuga fosse planejada e colocada em prática. Ambos lutaram por 3 dias e 3 noites sem descanso inspirando os guerreiros Eladrin até que os inimigos começaram a temer a mera menção de seus nomes. No final da terceira noite, após o recuo do exército inimigo, ambos perderam a consciência de exaustão e foram tratados pelos mais poderosos curandeiros. Mesmo assim, apenas Fergus teve forças para abrir novamente os olhos. Aos títulos que gostava de se gabar agora acrescentam-lhe os títulos como “Guardião das muralhas” e “Flagelo do Dragão Rei” e muitos outros relacionados ao feito heróico.

Unborn, o paladino de Lúminus lutou de maneira incansável ao lado dos Eladrins, levando suas habilidades de cura e bravura aos limites extremos. Quando Ar-Finël foi atacada pela primeira vez ele ajudou a defender a cidade das hordas inimigas pedindo a bênção e a força de Úkion para derrotar seus inimigos. A cidade resistiu e mais uma vez foi atacada pelo general inimigo mais poderoso. Então Orkaron o mais poderoso anjo de Úkion, atendeu as suas preces, liderando uma legião de anjos dos planos elevados para garantir a retirada em segurança dos refugiados Eladrins. Após o fuga, a Espada de Úkion, como é conhecido Orkaron, presenteou Unborn com uma poderosa arma para ajudá-lo a proteger seus aliados das forças maléficas.

Com muito sacrifício os Eladrins viram-se obrigados a retirar-se para o local menos provável possível. A cidadela-fortaleza anã chamada Fortinária em Esdra. Assim como os elfos, humanos e todos os povos livres de Esdra que ouviram rumores sobre a poderosa profecia que se abate sobre a grande fortaleza anã. Diz a profecia que “Enquanto o escolhido de Toran e senhor dos anões resistir dentro das muralhas de Fortinária, ela nunca será subjugada”. Por três vezes a profecia foi colocada a prova e enquanto Krelian, o gigante senhor dos anões, resiste em Fortinária, ela não pode ser vencida. Entretanto o poderoso líder anão encontra-se muito velho e com a saúde debilitada.

Enquanto isso, os seguidores de Drakor espalharam-se como uma praga sobre as terras de Esdra encontrando pouca resistência após um período tão conturbado como a última década e o caos impera. Drakien antes de finalmente partir de uma vez por todas de Esdra instruiu os heróis a buscarem e destruirem a filactéria de Drakor, impedindo que o Dragão voltasse novamente a vida para impor sua vontade sobre o mundo.

Depois de várias missões perigosas onde muitos heróis valorosos perderam suas vidas, finalmente a filactéria parece ter sido localizada: Ela encontra-se em posse de um dos mais leais servidores do inimigo. Um necromante drow chamado Asturion.

O grupo seguiu os passos do necromante, conseguindo finalmente surpreendê-lo em uma emboscada mas o inimigo tenta desesperadamente fugir, mesmo sendo um oponente poderoso para o grupo. A filactéria é a chave para a destruição do mais poderoso dragão maligno que já pisou em Esdra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Resgate de Arduin

Um Reino de Mentiras - A Busca de Arduin

A Saga do Inverno - Prólogo